Histórico


    Votação
     Dê uma nota para meu blog


    Outros sites
     TRADIÇÕES: DARUMA
     BREVE HISTÓRICO DA AACJ
     PRODUTOS: KIT AACJ SUSHIMAN CHEF
     PRÊMIO: ORDEM DO MÉRITO KASATO MARU
     ESPECIAL: ECJ/BR
     ESPECIAL: PERSONAL SUSHI
     RECEITAS: BOLINHO DE TOFU
     RECEITAS: MAZE GOHAN DE MOTI GOME
     RECEITAS: SUKIYAKI LIGHT
     RECEITAS: TEMPURÁ
     RECEITAS: MAKIZUSHI
     RECEITAS: CONSERVA DE DAIKON
     RECEITAS: ARROZ DE FESTA
     RECEITAS: Sugaki do Tanji
     RESTAURANTES: Kaizen
     RECEITAS: ARROZ PARA SUSHI
     RECEITAS: Salada de Acelga
     RESTAURANTES: MIYAKE SUSHI
     RESTAURANTES: PRÊMIO PALADAR
     RESTAURANTES: MAKÔZUSHI-MARÍLIA
     RESTAURANTES: Banri Katian
     RESTAURANTES: COMER & BEBER: O MELHOR DE VEJA SP
     EVENTO: A FUSÃO DAS CULINÁRIAS ORIENTAL E OCIDENTAL COM ADRIANO KANASHIRO
     EVENTO: 3o. NIKKEY MATSURI
     EVENTO: Festival do Japão 2009
     EVENTO: Festival do Japão 2008
     EVENTO: A ARTE DO SUSHI COM JUN SAKAMOTO
     GALERIA: TIPOS DE SUSHI
     GALERIA: FOTOS DE CURSO DA AACJ EM 1997
     GALERIA: COMPRAS NA LIBERDADE
     GALERIA: FOTOS DA SEMANA CULTURAL BRASIL-JAPÃO
     GALERIA: ESTILO DE VIDA
     GALERIA: SUSHIS "DIFERENTES"
     GALERIA: ANO NOVO
     VÍDEO: PASSEIO DE ESTEIRA ROLANTE
     VÍDEO: JUN SAKAMOTO
     VÍDEO: TSUYOSHI MURAKAMI
     VÍDEO: JUN SAKAMOTO NO MAIS VOCÊ
     VÍDEO: UDON
     VÍDEO: TOQUE BRASILEIRO
     VÍDEO: ESCOLHENDO O PEIXE
     VÍDEO: FAZENDO SUSHI
     VÍDEO: FAZENDO SUSHI - II
     VÍDEO: Aldo Paladino no Momento Temperado
     VÍDEO: ADRIANO KANASHIRO
     VÍDEO: ASA GOHAN
     CURIOSIDADES: OS HASHIS
     CURIOSIDADES: Nihongo Culinário
     CURIOSIDADES: O SHOYU
     CURIOSIDADES: LEILÃO DE ATUM EM TÓQUIO
     PERFIL: JUN SAKAMOTO
     PERFIL: OS QUATRO SAMURAIS
     UTENSÍLIOS: CLIP NO HASHI
     UTENSÍLIOS: FERRAMENTAS PARA MANUSEIO DE PEIXES
     LIVRO: As Minhas Receitas Japonesas
     LIVRO: Sushi - Técnicas e Receitas
     MANGÁ: Gourmet


     
    AACJ - ASSOCIAÇÃO DOS ADEPTOS DA CULINÁRIA JAPONESA


    Os Japoneses do Restaurant Week

    O projeto do Restaurant Week Brasil foi inspirado em evento similar que acontece em Nova York há quase 20 anos e iniciou pela cidade de São Paulo no segundo semestre de 2007, com a participação de 45 restaurantes e em parceria com a Fundação Ação Criança, uma entidade sem fins lucrativos que tem como objetivo combater a desnutrição infantil na faixa de 0 a 7 anos de idade. 

    Em 2009 estão previstas 5 edições brasileiras do Restaurant Week, começando por São Paulo, de 02 a 15 de março, depois Rio de Janeiro, de 20 de abril a 03 de maio, Recife, de 20 a 31 de julho, Brasília, de 06 a 19 de julho e novamente São Paulo, de 31 de agosto a 13 de setembro.
    Em São Paulo 122 restaurantes e bares participarão da quarta edição do evento, oferecendo cardápios diferenciados com entrada, prato principal e sobremesa a um preço fixo, igual em todas as casas participantes do evento: almoço por R$ 25,00 + 1 e jantar por R$ 39,00 + 1 (couvert não incluído), valores com os quais não seria possível apreciar as iguarias das casas que participam, em geral algumas das mais caras e prestigiadas da cidade.

    Para evitar frustrações desnecessárias, a colunista Luiza Fecarotta, do Guia da Folha, deu algumas dicas importantes:
    1) Ligue para os restaurantes antes de visitá-los. Pode ser necessário reservar mesas e verificar a disponibilidade do cardápio e o tempo de espera;
    2) Atenção ao preço das bebidas, que podem encarecer o preço da conta no final;
    3) O couvert também pode ser motivo de gasto adicional desnecessário;
    4) Não se esqueça que na conta final também tem 10% de serviço e mais R$ 1,00 destinado a Fundação Criança, que é opcional.
    5) O estacionamento também pode inflacionar seu passeio – informe-se e previna-se.

    Os Restaurantes Japoneses que participam do Restaurant Week a partir do dia 02 de março são:

     



    Escrito por AACJ - BR às 19h18
    [] [envie esta mensagem] []



    50 Anos do Lámen Instantâneo

    Ichiraku Ramen é um restaurante de Lamen, localizado na vila de Konoha, na série de anime e mangá Naruto. Muito apreciado pelos ninjas, o chef Ichiraku Teuchi faz um lamen maravilhoso, segundo Naruto, com a ajuda de sua filha, Ayame. É um lugar onde os ninjas se encontram para comer e conversar.

    Rápido, prático, barato e substancioso. Quando Marco Pólo esteve na China, no século XII, já comiam o la-mein. No século XVII o samurai japonês Mitsukuni Tokugawa provou e aprovou o prato e o levou para o xógun, que resolveu mantê-lo como privilégio da elite japonesa.

    Só no século XX o lámen começou a se popularizar com mudanças na receita e comercialização  em carrinhos (yatais) nas ruas das grandes cidades.

    Momofuku Ando, nasceu como Gô Peh-hok (Taiwan, 5 de Março de 1910— Osaka, Japão, 5 de Janeiro de 2007) e foi o fundador e presidente da Nissin Shokuhin (Empresa Alimentícia nipo-chinesa), e o inventor do moderno macarrão instantâneo.

    Ando nasceu em Kagi (atualmente Chiayi), Taiwan e cresceu na cidade de Tainan. Em 1948, Momofuku Ando fundou o que viria a ser a Nissin em Ikeda, Osaka, Japão. Era uma pequena companhia de família, ainda.

    Em sua biografia, Momofuku diz que sua necessidade de fabricar alimentos de baixo custo e de preparo fácil se deu início após ter presenciado, depois da guerra, uma enorme fila de pessoas famintas diante de uma vitrine clandestina de sopas de fios de massa. Para ele, o fim da fome no mundo significaria também o fim das guerras.

    Em 25 de Agosto de 1958, quando tinha 48 anos, depois de meses de tentativa e erro, Ando anunciou que, finalmente, aperfeiçoara o seu método de "fritura-relâmpago" que levou à invenção do lámen instantâneo, que dispensava um cozimento demorado e o escorrimento da massa, e vinha com um preparado em pó para fazer o caldo através da simples dissolução em água quente por 3 minutos.

     

    Alguns anos depois, utilizando técnicas de liofização (processo de desidratação) dos alimentos e aperfeiçoando o sabor do produto e reformulando a embalagem, criou, em 1971, o kappu nuudoru (lámen no copo). A partir de então, bastava abrir a embalagem, colocar água quente, esperar 3 minutos , dar uma mexidinha e comer. Em 2005, dois anos antes de morrer, Momofuku desenvolveu uma embalagem a vácuo preparada para que o astronauta japonês Shoichi Noguchi pudesse comer lámen no espaço, a bordo da Discovery.

    No Japão são fabricadas mais de 200 tipos de "lamen" e 864 de "cup lamen" e consumidos cerca de 98 milhões de unidades por ano. Existem até Museus especialmente dedicados ao Lámen.

    Ao redor do mundo, 42 países aderiram ao lámen. No Brasil, o lámen instantâneo chegou em 1965, através de um pequeno empresário chinês que havia conheido o produto no Japão e passou a produzi-lo em São Paulo com a marca Miojo (estrela brilhante). O lámen caiu no gosto popular por sua praticidade e passou a ser amplamente consumido.

    Alguns anos depois, a japonesa Nissin decidiu operar no Brasil, comprou a  Miojo, construiu uma fábrica em Ibiúna, mas resolveu continuar usando a marca local, devido ao forte apelo que o nome já possuía no mercado. Hoje existem no mercado brasileiro desde os tradicionais lámen de carne,  bacon e camarão até os sabores regionais, como carne de sol, galinha ensopada e costela na brasa

    Os brasileiros, com seu característico bom humor, também apelidaram o macarrão instantâneo de lámen-tável, em alusão ao fato de que o lámen tornou-se uma opção quando não se dispoe de recursos para uma refeição mais adequada.

    Em comemoração aos 50 anos do macarrão instantâneo, a Nissin está lançando uma embalagem comemorativa do lámen clássico, sabor galinha.

    Parte das informaçóes foram extraídas do livro Japop – O Poder da Cultura Pop Japonesa – Cristiane A. Sato



    Escrito por AACJ - BR às 11h09
    [] [envie esta mensagem] []



    Kyuri-Ken

    Existem aproximadamente cinqüenta variedades de pepino (em japonês, kyuri), que se diferenciam pelo formato, cor da casca, modo de cultivo, etc. Mas a diferença de sabor é quase nula. O pepino japonês (Aonaga) é mais fino e alongado que o comum liso (Aodai). A casca é verde-escura e tem reentrâncias, além de ser mais mole, mas a polpa é menos suculenta e mais dura. Na culinária japonesa é usado em pratos avinagrados (sunomono), em picles (tsukemono), em saladas ou em sushis (hossomakis, kappa makis ou uramakis). Se for escolher pepino japonês para fazer sushi, prefira os menos encurvados.

     

    O pepino é atualmente consumido quando está na cor verde, mas o seu amadurecimento se dá na cor amarela. Antigamente o pepino tinha um sabor amargo muito acentuado quando verde e só era consumido na cor amarela, e daí o seu nome ser derivado de ki = amarelo e uri = cucurbitaceae, a família de legumes que reúne abóbora, melão, melancia, bucha, abobrinha, etc.

     

    O pepino abre o apetite, diminui a febre e o inchaço e previne a azia. Além disso, por conter potássio e muita água em sua composição é ótimo diurético, purificador do sangue e normalizador da função renal.

    O pepino fatiado para sushi é chamado de kyuri-ken. A partir da casca (epicarpo), o sushiman retira a "lâmina" do pepino, passando pelo endocarpo até chegar na região das sementes, que deve ser descartada por conter muita água.

     

    Outra forma (mais segura para iniciantes sem band-aid em casa) é fatiar o pepino aos poucos(6), depois de dividi-lo longitudinalmente(1), tomando o cuidado de separar a região das sementes (4).



    Escrito por AACJ - BR às 04h03
    [] [envie esta mensagem] []



    Clube do Gordinho

    O Clube do Gordinho é um programa semanal de entrevistas apresentado pelo americanense "Big Butcha" na Net TV em cidades do interior paulista em torno de Americana, Limeira, Mogi Mirim, Piracicaba, Jundiaí, Rio Claro, etc...

    O enfoque do programa é realizar a cobertura televisiva dos eventos sociais dessas cidades e apresentar receitas e personalidades da região. Em setembro de 2008, Marcello Deliza, presidente da AACJ, esteve numa confraternização entre amigos em Ilhabela, confeccionando sushis e sashimis para os presentes e eis que Big Butcha e sua equipe, presentes ao evento, resolveram entrevistar Marcello entre um sushi e outro.

    Na entrevista, a qual a AACJ teve acesso recentemente, Marcello fala de sua admiração pela cultura japonesa refletida na culinária, de como surgiu a Associação dos Adeptos da Culinária Japonesa, do prêmio dado pelas entidades responsáveis pelos festejos do Centenário da Imigração Japonesa e dos planos futuros da Associação dos Adeptos da Culinária Japonesa.

    A AACJ-Associação dos Adeptos da Culinária Japonesa agradece ao Big Butcha, a sua equipe pelo trabalho, a seus espectadores e a todos os que estiveram em Ilhabela pela oportunidade de difusão da culinária japonesa pelo imenso interior paulista.



    Escrito por AACJ - BR às 05h02
    [] [envie esta mensagem] []



    Curso de Sushi e Sashimi

    O curso básico de sushi e sashimi do Restaurante Miyake Sushi foi criado para atender a pessoas que querem se entreter apresentando suas habilidades culinárias para amigos e familiares em pequenas confraternizações e festas em geral ou para interessados em aprender um pouco mais sobre a artesanal culinária japonesa.

    O professor Augusto Miyake conduz o curso com grande habilidade didática, bom humor e dinamismo, enfatizando a prática dos cortes e manejos dos instrumentos envolvidos na preparação de hossomakis, uramakis, temakis, niguiris e sashimis.

    O curso básico é realizado em uma única noite, às segundas-feiras, e é ministrado duas vezes por mês, a partir das 19h, reunindo cerca de 12 alunos por turma.

    Para quem quiser tentar uma carreira como sushiman ou auxiliar de sushiman ou aprimorar-se intensivamente na prática culinária a opção é o curso profissional, com duração de sete dias, onde o aluno vai ficar imerso no ambiente de um Restaurante Japonês, sob a supervisão do professor Augusto e de seus auxiliares. Neste curso o aluno vai praticar muito e adquirir precisão  e velocidade nas técnicas do sushi e do sashimi.

    Marcello Giuseppe Deliza, presidente da AACJ- Associação dos Adeptos da Culinária Japonesa, fez e aprovou o curso profissional, que não só conduz à prática constante do preparo artesanal do sushi e do sashimi  mas também proporciona dicas e truques de higiene, conservação, apresentação, economia e  gestão que só a prática do dia-a-dia de um Restaurante Japonês  podem trazer.

    Augusto estima que já foram mais de mil alunos que passaram pelos seus cursos, entre eles muitos que acabaram se tornando profissionais, até mesmo em Restaurantes na Europa e Estados Unidos.

    O aluno recebe uma apostila com o resumo das informações transmitidas no curso, além de vários canais de comunicação para aprofundar-se nos estudos e na prática da culinária japonesa.

    Para maiores informações, acesse o site do Restaurante http://www.miyakesushi.com.br



    Escrito por AACJ - BR às 01h45
    [] [envie esta mensagem] []



    As Últimas

    O site As Ùltimas é um agregador de links. Quase tudo o que é publicado na Internet sobre algum Grande Tema nos principais blogs e sites escritos em português é levado para um painel de informações em que o usuário pode escolher o assunto que lhe interessa, num ambiente bem organizado e seguro.

    Os Grandes Temas, que são os pontos de partida da navegação do usuário de As Últimas são: Política Brasileira, Política Internacional, Futebol, Ciência, Humor, Personalidades, Mídia, Cinema e, é claro, Culinária.

    Dentro do Tema Culinária o usuário de As Últimas encontra receitas e textos produzidos em conhecidos sites e blogs de culinária e o link para os últimos posts desses sites e blogs.

    Há também fotos do site Flickr e vídeos do YouTube relacionados à Culinária.

    Para os usuários que estão conhecendo o blog da AACJ através do link de As Últimas, sejam bem-vindos e fica o convite para conhecerem também o recém criado site da AACJ.



    Escrito por AACJ - BR às 23h05
    [] [envie esta mensagem] []



    O valor nutritivo do daikon

    O daikon (nabo) é um legume consumido há muitos anos e foi levado ao Japão pela China por volta do ano 710. Sua função é aguçar o paladar, melhorar a digestão (contém a enzima Diastase) e prevenir contra o câncer. Além disso, é rico em vitaminas A e C, bom para a tosse, e suas folhas e talos são usadas na prevenção da osteoporose e no combate à anemia. Na hora de comprar, escolha o que seja pesado, tenha um maior número de folhas com tom bem esverdeado e que esteja com a raiz bem branca.

    É muito comum os japoneses servirem o takuan, tsukemono de daikon (nabo em conserva) nas suas refeições.

    O suco do nabo ralado alivia a azia e a ressaca.

    O nabo cru cortado em rodelas finas e colocado em vasilhame fechado junto com mel, produz um líquido transparente quando murcha. Esse líquido tomado após uma boa mexida é bom para combater tosses e catarros. As folhas secas colocadas no banho de imersão servem para aquecer o organismo, sendo indicadas para pessoas sensíveis ao frio.

    Entre as "sabedorias populares" antigas japonesas, dizia-se que rodelas desidratadas de nabo cozidas (kiriboshi daikon) removiam caroços do intestino. Nutricionistas estudaram o kiriboshi daikon e verificaram a presença de uma substância chamada lignina, que exerce nos vegetais a mesma função que o colágeno cumpre nos animais, ou seja, unir as células entre si. Além disso, a lignina diminui o nível de colesterol sanguíneo e previne a incidência de câncer.

    O nabo ralado (daikon oroshi) e os filamentos do nabo que acompanham motis, sashimis, peixes grelhados, tempuras ou sobas, quando são considerados só como enfeites e deixados no prato intactos, são considerados um desperdício na cultura japonesa, como se fosse desprezado propositalmente um medicamento digestivo e que previne o câncer.

    Conserva de nabo (daikon)/ Kabura no benizuquê

    Receita copiada do site Petitchef que por sua vez copiou do blog Casa da Farinha que testou e adaptou do site da Cozinha Japonesa que utilizou a Revista Nihon Ryoori (Pratos Japoneses) como fonte.

    Ingredientes

    Nabos
    Sal
    3 colheres de sopa de vinagre
    1 colher de sopa de mirim (ou saquê)
    1 colher de chá cheia de açúcar
    Anilina vegetal cor-de-rosa
    1 pitada de glutamato monossódico (opcional)

    Modo de Preparo

    1. Escolha nabos bons, descasque-os e corte-os.
    2. Espalhe 1 colher de chá de sal sobre os cubos de nabo, comprima-os com as pontas dos dedos e deixe descansando por 1 hora. Esprema bem os nabos para sair todo o caldo que dessorou (perdeu o soro).
    3. A parte, misture os outros ingredientes numa vasilha, deite os cubos de nabo nessa mistura e deixe-os descansando por algum tempo.
    4. Guarde em pote de vidro e mantenha sobre refrigeração.
    5. Os nabos assim preparados permanecem inalterados por 3 a 4 dias.

    Rendimento: 1 pote de 1/2 litro



    Escrito por AACJ - BR às 15h12
    [] [envie esta mensagem] []




    [ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]